PR é…..?

PR é…

Imagem retirada daqui.

PR: algumas “dicas” para comunicar online com jornalistas

PR DON’T 1 – Never send attachments

PR DON’T 2 – Stop with the jargon

E mais… Para ler aqui

“O jornalismo grátis na Internet foi um erro fatal

“O jornalismo grátis na Internet foi um erro fatal”. Quem o afirma é Walter Dean aqui, numa entrevista publicada na Visão online.

Há também a versão em vídeo.

Entre a esperança e a confiança: nunca quebrar

Sou da opinião que a convivência e a integração do marketing com a comunicação é saudável e necessário. É-o desde que não se atropelem uma à outra. A partir do momento em que se confundem os limites de atuação das duas, algo vai mal.

Exemplo disso, e mais que badalado nestes últimos dias, é a campanha de marteking da Cacharel.

Não vou analisar estratégias. Não conheço os objetivos da campanha. Quanto a mim o erro crasso desta estratégia de marketing foi na sua operacionalização: deixar que a comunicação extravasasse para os meios de comunicação social sem que a marca  recusasse, nos bastidores,  que o jovem escolhido para esta campanha falasse com os jornalistas.

Num período conturbado em que vivemos, em que a vontade de boas notícias impera, a esperança dos portugueses vibrou por uma simples história de amor. E, num período conturbado em que vivemos, muitos destes portugueses que vibraram com uma simples história de amor, sentiram-se enganados. Qual a reputação da Cacharel neste momento? Como está a ser visto o lançamento do Catch Me, o novo produto visado nesta campanha? A expetativa de vendas responderá a estas questões.

Na minha opinião, grave é também a visão que os jornalistas terão das agências de comunicação. Se já eram duas profissões em que o conflito de interesses é constantemente apontado, em que se usa o argumento de que a informação difundida e trabalhada é realizada para “beneficiar” e “condicionar” perspetivas, em que há (e isto tem de ser dito) ainda muita desconfiança pelo trabalho que é feito pelos consultores de comunicação… Como (res)suscitar a credibilidade das Public Relations junto dos profissionais dos media?

O futuro… não pode ser triste.

Apelo aos PR – Estudo da Universidade de Bucareste

Recebi um pedido internacional para responder a um estudo online dirigido aos profissionais que trabalham em Public Relations.

Este questionário vai ajudar o Iulian Veghes, doutorando na Universidade de Bucareste (Universitatea Bucuresti), na investigação que está a realizar numa análise sobre de que forma as organizações europeias lidam com as ferramentas de comunicação online para comunicar com os seus públicos.

O Iulian precisa de cerca de 2.000 respostas e pede o nosso importante contributo tanto no seu preenchimento, como na sua divulgação.

Responder ao estudo demora cerca de dois minutos. Por isso, mãos à obra! E… divulguem 🙂

O estudo encontra-se disponível em http://www.onlineprineu.org/

European Communication Monitor 2012

Os resultados do maior estudo de comunicação em todo o mundo foram agora publicados. Participaram 2.200 profissionais de comunicação de 42 países, num projeto conjunto da EUPRERA (European Public Relations Education and Research Association), EACD (European Association of Communication Directors), e da revista Communication Director, com o apoio da Ketchum Pleon.

O estudo está também disponível para consulta em pdf e em ppt.

Definições de Relações Públicas… em análise

A PRSA apresentou recentemente uma proposta para uma definição de Relações Públicas:

“Public relations is a strategic communication process that builds mutually beneficial relationships between organizations and their publics.”

Em 1952, a definição era:

“Public relations is a management function that seeks to identify, build, and maintain mutually beneficial relationships between an organization and all of the publics on whom its success or failure depends.”

Em 1982, definiam-se as RP como:

 “Public relations helps an organization and its publics adapt mutually to each other.”

Este artigo traça uma pequena reflexão sobre as alterações das definições de RP desde 1952 até  hoje, aborda a estratégia e o processo como características fundamentais das RP e, de acordo com as alterações sociais, económicas e comportamentais mais recentes, o autor, Lionel Stanbrook, apresenta também uma sugestão:

“Public Relations is advice that gives access, context and meaning to media, generating value from the resulting relationships and communications between companies and their stakeholders.”

Parece-me que em Portugal esta percepção existe, mas apenas entre os que trabalham na área. Continuo a achar que ainda temos um longo caminho a percorrer para que as organizações e empresas reconheçam a comunicação como um parceiro estratégico…