A doença em notícia – frente a frente

A doença em notíciaNo âmbito do projeto “A doença em notícia”, financiado pela FCT, e que se encontra a ser desenvolvido pelo Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho, fui convidada a responder a três questões:

  1. Qual deverá ser o papel dos media da promoção da Saúde Pública?
  2. Como carateriza a relação entre os jornalistas e as assessorias no setor da Saúde em Portugal?
  3. Que estratégias poderiam ser desenvolvidas para melhorar a qualidade dessa relação e, por conseguinte, a qualidade da informação mediática sobre saúde em Portugal?

As respostas podem ser encontradas aqui. E como se trata de um frente-a-frente, obtendo respostas junto de um consultor de comunicação e de um jornalista, a opinião de Inês Schreck, do Jornal de Notícias, pode ser encontrada aqui.

E, já agora… opinem!

Daniel J. Edelman (1920-2013)

Daniel EdelmanMorreu hoje, aos 92 anos, o fundador da Edelman, a maior consultora privada e independente de public relations de todo o mundo.

Em Portugal, a Edelman encontra-se representada pelo Grupo GCI, no qual tive o prazer de ter trabalhado durante alguns anos da minha vida, onde cresci pessoal e profissionalmente, rodeada de colegas de trabalho que sempre considerei uma segunda família.

Daniel Edelman fundou a agência em 1952, em Chicago, e foi um dos pioneiros das Public Relations, um sector que  ganhou, desde então, grande notoriedade e prestígio.

O tributo que a empresa apresenta na sua homepage denuncia o homem:

There will never be another Dan Edelman – indomitable, ever modest, always resilient, ready for the next challenge. His story inspire us all.

Para mais informações…

IMG_9202Consulte o meu perfil agora publicado no Liga-te à Media.

Aqui

Os sete “segredos” para o sucesso

Inspirada em The 7 Habits of Highly Successful People de Stephen Covey, Amanda Miller Littlejohn escreve no PRDaily os sete “segredos” para um bom desempenho profissional, que podem ser aplicados a qualquer profissão, especificamente no que respeita às PR nas suas relações com jornalistas,  clientes e público.

1 – Proatividade
2 – Estratégia
3 – Capacidade de organização
4 – Avaliação de retorno
5 – Objetividade
6 – Sinergias
7 – Atualidade e formação

Um artigo para ler aqui.

Internet é má para a saúde? Provavelmente…

Retirado daqui

 

PR é…..?

PR é…

Imagem retirada daqui.

PR: algumas “dicas” para comunicar online com jornalistas

PR DON’T 1 – Never send attachments

PR DON’T 2 – Stop with the jargon

E mais… Para ler aqui

“O jornalismo grátis na Internet foi um erro fatal

“O jornalismo grátis na Internet foi um erro fatal”. Quem o afirma é Walter Dean aqui, numa entrevista publicada na Visão online.

Há também a versão em vídeo.

Entre a esperança e a confiança: nunca quebrar

Sou da opinião que a convivência e a integração do marketing com a comunicação é saudável e necessário. É-o desde que não se atropelem uma à outra. A partir do momento em que se confundem os limites de atuação das duas, algo vai mal.

Exemplo disso, e mais que badalado nestes últimos dias, é a campanha de marteking da Cacharel.

Não vou analisar estratégias. Não conheço os objetivos da campanha. Quanto a mim o erro crasso desta estratégia de marketing foi na sua operacionalização: deixar que a comunicação extravasasse para os meios de comunicação social sem que a marca  recusasse, nos bastidores,  que o jovem escolhido para esta campanha falasse com os jornalistas.

Num período conturbado em que vivemos, em que a vontade de boas notícias impera, a esperança dos portugueses vibrou por uma simples história de amor. E, num período conturbado em que vivemos, muitos destes portugueses que vibraram com uma simples história de amor, sentiram-se enganados. Qual a reputação da Cacharel neste momento? Como está a ser visto o lançamento do Catch Me, o novo produto visado nesta campanha? A expetativa de vendas responderá a estas questões.

Na minha opinião, grave é também a visão que os jornalistas terão das agências de comunicação. Se já eram duas profissões em que o conflito de interesses é constantemente apontado, em que se usa o argumento de que a informação difundida e trabalhada é realizada para “beneficiar” e “condicionar” perspetivas, em que há (e isto tem de ser dito) ainda muita desconfiança pelo trabalho que é feito pelos consultores de comunicação… Como (res)suscitar a credibilidade das Public Relations junto dos profissionais dos media?

O futuro… não pode ser triste.

Apelo aos PR – Estudo da Universidade de Bucareste

Recebi um pedido internacional para responder a um estudo online dirigido aos profissionais que trabalham em Public Relations.

Este questionário vai ajudar o Iulian Veghes, doutorando na Universidade de Bucareste (Universitatea Bucuresti), na investigação que está a realizar numa análise sobre de que forma as organizações europeias lidam com as ferramentas de comunicação online para comunicar com os seus públicos.

O Iulian precisa de cerca de 2.000 respostas e pede o nosso importante contributo tanto no seu preenchimento, como na sua divulgação.

Responder ao estudo demora cerca de dois minutos. Por isso, mãos à obra! E… divulguem 🙂

O estudo encontra-se disponível em http://www.onlineprineu.org/