A importância de um manual de crise

Nenhuma empresa está imune à crise. Por isso, todas as empresas ou organizações, grandes ou pequenas, devem ter um manual de crise que lhes permita agilizar/antecipar a resposta de forma a minimizar os efeitos negativos. No fundo, tomar a melhor decisão.

Mas é impressionante como ainda muitas organizações ou empresas não consideram a gestão de crise como algo prioritário.

A crise “explode” quando menos se espera e a diferença passa efectivamente  pelo planeamento, de saber como agir, quem envolver, o que fazer. A reputação da empresa ou organização passa, cada vez mais, pela capacidade de antecipar o próximo passo e de minimizar os efeitos negativos.

E quem ainda tem dúvidas, atente às seguintes hipóteses:

• Hospital: e se um doente cair de uma janela do terceiro andar?
• Stands de automóveis: e se, durante um test drive, várias pessoas forem atropleadas num parque de estacionamento?
• Padaria: e se a loja de repente se incendia e destrói os prédios vizinhos?
• Sindicato: e se o dinheiro das quotas sindicais for desviado?
• Empresa de turismo: e se o director-geral for apanhado a fazer um discurso (informal) racista?

Depois de aqui ter abordado as cinco regras de ouro da gestão de crise, deixo a sugestão de um artigo que aborda a importância de se ter um manual de crise.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: